Tag - desenvolvimento pessoal

Celebre suas conquistas!

Final do ano chegou e com ele o momento de revisão de seu momento de carreira e de vida. Para alguns profissionais, há a tão famosa avaliação de desempenho e a pessoa já se prepara para buscar evidências do que deu certo e principalmente justificar o que deu errado.

Vem com este momento, uma baixa de tudo aquilo que poderíamos ter feito e não rolou. Por alguma situação alheia a nós ou pelas nossas próprias capacidades. Vem aquela energia ruim.

Que tal você mudar o foco deste momento? Que tal você mapear quais foram as suas conquistas e tudo aquilo que deu certo este ano? Isso não significa negligenciar erros e problemas, mas valorizar seus momentos de superação e aprendizados.

Passamos o ano dizendo que estamos sem tempo e entramos num piloto automático. Quando você vê, passou dias, semanas e até meses onde não paramos para reconhecer o bom trabalho que realizamos.

Procure levantar de forma geral, quais principais projetos ou atividades que esteve envolvido este ano. Depois, se pergunte: O que fiz de positivo em cada um deles? Qual atitude foi bacana que adotei? Quais bons momentos compartilhei com as pessoas?

Um exercício bem interessante de realizar é você escolher pessoas que você conviveu este ano. Pode ser familiar, amigo, colega de trabalho, entre outros. De alguma forma você se relacionou com estas pessoas e elas te conhecem à sua maneira. Peça para elas o seguinte: Poderia me dar um feedback da transformação positiva que eu gero na sua vida ou gerei este ano na nossa troca?

Num primeiro momento você deve estar pensando: uau, como assim? Mas é isto mesmo! Este é um dos exercícios mais incríveis que conheço e irá te relembrar da força e grandeza que tem.

Reconhecer suas conquistas e bom trabalho nos retroalimenta, eleva estima, motivação. Saber que estamos envolvidos em algum projeto que traga sentido e que toca as pessoas de alguma forma, nos relembra da nossa essência e missão. Fazemos isso com naturalidade para os outros, principalmente quando eles não estão bem. E a nós mesmos, quando fazemos?

É hora de reconhecer seus sucessos, o quanto fez acontecer e superou a si mesmo!! Você sabe que pode ir além, que poderia ter levado a sério algumas coisas, mas por um momento, que tal se presentar reconhecendo o seu valor?

Tenho certeza que será um momento super especial! Deleite-se!

Curtiu este post? Compartilhe na sua rede!

A Síndrome do Sabe Tudo: Atenção, você faz sem perceber!

Não importa a sua geração, cargo ou propósito, você absorve informações e gera aprendizados com suas experiências pessoais e profissionais. Porém, a sua atitude frente ao seu momento atual com sua base ou melhor, caixa de ferramentas, pode fazer com que queira ter um olhar mais crítico sobre as coisas, querer compartilhar o que conhece; mas pode fazê-lo de uma forma totalmente errônea.

A sua atitude pode torná-lo intolerante, excessivamente crítico a ponto de prejudicar sua conexão com as pessoas e o pior cenário: perder sua essência e autenticidade.

Talvez você não se dê conta, mas tem a síndrome do sabe tudo.

Você acha que as pessoas não fazem diferente porque não querem, sem compreender a fundo o que se passa, julga de forma irônica e agressiva ou sai querendo resolver dando caminhos, se esquecendo que do outro lado há uma pessoa com livre arbítrio, vontades e emoções.

Ao invés de se conectar com o outro, fere pontos essenciais da empatia: compete com o outro, não aprende com ele, se coloca num patamar superior, julga usando rótulos sem notar os conflitos que surgem; resultando em discussões ou afastando as pessoas.

A síndrome do sabe tudo tem como pilar as suas crenças e julgamentos, pois com sua verdade formada internamente, coloca uns óculos para enxergar a sua realidade, mas não percebe que os outros também possuem suas realidades. Acaba através do juízo de valor e não real, não se conectando e utilizando o que pode agregar com seus conhecimentos para as pessoas.

Se esquece do principal: será que de fato pratica a fundo o que julga e fala que faz ou se sabota com a camada protetora não olhando para a real verdade por trás da casca de sabe tudo?

Não mostrar sua vulnerabilidade, não querer perder a razão, controle, espaço e afeto são alguns dos fatores que sabotam o sabe tudo, entre outros.

A mudança pode ocorrer a qualquer momento, quando você se coloca como um aprendiz, mesmo diante de assuntos que já conhece. Até porque pode gerar novos insights e reflexões.

Tem uma frase de Klauss Vianna, coreógrafo e bailarino que dizia aos seus alunos: Façam a aula que já conhecem de outro lugar da sala, desta forma, pode ter uma nova visão do espaço e melhorar ainda mais sua performance.

Deixo aqui esta reflexão para que utilize seus talentos para crescer, inspirar e transformar. Conexões profundas e mais autênticas seguem caminhos da troca e da simplicidade.

Curtiu este post? Que tal mudar sua configuração mental? Leia agora!

Quer gerar mais protagonismo em ação? Faça Coaching!! Conheça a Make Different, empresa de soluções de desenvolvimento profissional de Aline Gomes. Clique Aqui.

Aceite que dói menos!

Performance, produtividade, números, foco, sucesso. As demandas profissionais que nos fazem perder o sono. A busca constante por salários melhores, promoção e reconhecimento. Um ciclo que se repete e chega uma hora que você se pergunta: é isso mesmo o sentido da vida e principalmente da carreira?

É super honesto querer estas coisas, mas qual o preço e a forma que você as busca?

Faça uma leitura agora. Você anda cansado e sem energia? Mais estressado e frustrado? Sua vida se resume a trabalhar e no final do dia não conquista o que tanto deseja? Opa! Tem algo errado nisso. Sinal amarelo de alerta.

Muitos profissionais buscam, então, seu desenvolvimento: fazem pós-graduação, cursos de idiomas, especialização, liderança e nada muda.

Dá uma ansiedade de não compreender o que se passa e é natural a busca por culpados, externos é claro! A empresa, o gestor, os pares, o país, a família.

Até que vem uma inquietação interna e vão pelo caminho de se autoconhecer. Se deparam então, com o motivo que os fazem estagnar, não crescerem e não receber tudo aquilo que tanto almejam: a falta de aceitação e autoamor.

Uau! Como assim meu sucesso profissional está atrelado a me amar? Sim, esta é a base da construção da sua identidade.

Crescemos com a sociedade, família nos mostrando os “padrões ideais” para ser feliz, saudável e bem-sucedido. Nas empresas, há uma definição do perfil ideal de talento, e então, acreditamos que precisamos nos adequar.

Vestimos uma roupa que não é a nossa, nos enganamos diariamente. Não aceitamos quem somos na autenticidade e nos encaixamos nos padrões, esquecendo de quem somos.

Seu corpo não suporta mais viver assim, sua mente começa a dar curto circuito, você não compreende até porque está num super projeto e você precisa dar o seu melhor. Mas, talvez, a única forma de você ouvir a sua essência e verdade é pelo piripaque, para parar, se ouvir e se cuidar.

Parece simples dizer que a chave para o sucesso é aceitar quem é e se amar, mas quando foi a última vez que você se deu um feedback positivo e disse que se amava?

Você está aqui com os talentos que têm para brilhar. Aceite-os! Use-os! Chega de ser quem você não é! Chega de se enganar! Aceite que dói menos!

Quando você se conecta com sua essência e se empodera dela, sua identidade se fortalece; aumenta sua clareza do que quer, como chegar lá e, consequentemente, seu foco, produtividade, resultados e sucesso. Porém, a forma é mais leve, mais feliz, você se diverte e constrói uma linda história profissional.

O reconhecimento e valorização começa dentro de nós e assim o externo nos vê como verdadeiramente somos. Na nossa própria pele, amando cada pedaço de nós e cada talento.

Se dê esta chance, volte para si e o sucesso estará mais perto do que você imagina.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://cloudcoaching.com.br/aceite-que-doi-menos/post#.WXC_VojyvIU

Curtiu este post? Deixe seu comentário.

Reconheça o seu valor!

Se as pessoas lhe perguntassem agora: quais são seus talentos e pontos fortes, o que você responderia?

Esta pergunta parece simples para algumas pessoas, já muito desafiadora e difícil para outras, porque não conseguem reconhecer o seu próprio valor. Isso ocorre contigo?

“Mas é difícil falar sobre nós mesmos”. Esta é uma frase que sempre ouço dos meus clientes; e por trás dela, uma barreira enorme de mergulhar dentro de si e enxergar o lindo potencial que possuem.

Achamos, normalmente, que o que fazemos bem, todos sabem fazer, mas se esquecem que estes comportamentos saem com fluidez, sem pensar; justamente por você realizar com naturalidade, com prazer. Pronto, você está diante de um ponto forte e de um talento.

Se isso ocorre contigo, note porque é tão duro e crítico consigo. Quando isso começou e principalmente o porquê. Mergulhe na sua história, veja o padrão que se repete para encontrar a causa raiz.

Mais do que identificar onde tudo desencadeia no não reconhecimento do seu valor é ter consciência que só irá continuar assim, se assim você quiser.

Você já ouviu a frase que diz: O valor que as pessoas te dão é o valor que você se dá. Como as portas e oportunidades vão surgir para você, se não se sente capaz?

Não tenha medo de descobrir uma pessoa maravilhosa, repleta de dons e diferenciais. Que tal quebrar este padrão e se valorizar a partir de agora? É grátis!!

Algumas dicas para ajudar:

  • Apaixone-se por você! Auto-amor é a peça-chave para encontrar o seu tesouro escondido;
  • Quando passar por algo que reflita sua imagem, como um espelho por exemplo, diga algo positivo para você. “Você está linda! ”, “Hoje você se organizou e foi muito produtivo! ”, “Parabéns pelo seu desempenho no projeto! ”;
  • Peça feedback para as pessoas ao seu redor. Note o que se repete. Vão surgir os seus talentos nas palavras das pessoas. Se 10 pessoas falarem a mesma coisa, qual a dúvida que você faz isto bem?;
  • No início do seu dia, diga palavras fortalecedoras e que te motivem. Faça o seu dia ser incrível! Ao final do dia, agradeça;
  • Que tal se divertir mais, rir mais e se levar para passear? Sim, você! Presentes podem ser mimos interessantes, quando você sentir orgulho de um desafio superado.

Pequenas atitudes trazem grandes mudanças, quando realizadas com entrega e comprometimento; portanto comece agora! Cada um de nós tem um potencial único e grandioso, um conjunto de talentos para colocar no mundo. Ajuste o seu olhar para baixar a guarda e dar espaço para seus talentos brilharem. Eu tenho certeza que, se você se permitir, você vai se encantar com a pessoa incrível que é.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://cloudcoaching.com.br/reconheca-o-seu-valor/post#.WEGjEuYrLIU

Curtiu o post? Deixe seu comentário.

Profissional: Por onde anda a sua criança interior?

E na semana do dia das crianças, quero te fazer um convite para refletir: por onde anda a sua criança interior?

Sim, meu querido profissional, estou falando contigo! Você não acha que tem levado tudo tão, mas tão a sério, que se esqueceu de colocar alegria, diversão, leveza e criatividade no seu dia a dia?

Tenho visto muitos profissionais pela minha jornada, duros demais consigo, incapazes de dizer um bom dia e obrigada para as pessoas. Ansiosas, frustradas por quererem ter o controle de tudo e quando contrariadas, se tornam agressivas, estressadas descontando em todos, principalmente nelas mesmas.

Vejo uma criança que se esqueceu e endureceu com a pressão da vida, incapaz de olhar com amor por si. Sabe quando nossos filhos ou sobrinhos estão na fase onde tudo é meu? Talvez esta criança que mora aí dentro, está ferida porque o brinquedo (a carreira de sucesso, o reconhecimento, o salário tão sonhado) não é seu e você fica emburrado, se esquecendo de cuidar de si e se perdendo pelo caminho.

Quando você era pequeno, tinha um monte de sonhos: astronauta, motorista de ônibus, bailarina, professora. Você se permitia imaginar em lugares incríveis, com histórias e amigos criados por você para vencer as batalhas e conquistar os castelos mais lindos.

Você estava feliz, livre, se divertindo. Vivia o agora sem se preocupar com o amanhã. Sem lamentar o passado. Só curtindo suas brincadeiras e amigos imaginários.

Conforme foi crescendo, você se deu conta com a pressão da vida, os obstáculos, o mau humor das pessoas que tinha de mudar e foi dizendo para sua criança que a brincadeira era coisa do passado e ela foi a cada dia perdendo espaço e cor, talvez sua vida e carreira também.

Onde foi decretado que não podemos sorrir, nos divertir e amar o que fazemos? Usar nossa criatividade para conquistar nossos sonhos? Ser uma coisa só na carreira? Que amor e trabalho são como água e óleo? Que você ou tem sorte no jogo, no trabalho ou azar no amor? Sim, nós acreditamos e vivemos assim.

A minha grande amiga e coach Ana Paula Barros, diz que se você não está se divertindo é porque tem algo errado. A excelente notícia é que a qualquer momento, você pode resgatar esta criança ferida e fazer as pazes com ela. Dar voz aos seus sonhos e brilhar sim na sua carreira.

Durante muito tempo, deixei minha criança de castigo, impedindo-a de dar um pio. E o que ocorreu é que me esqueci de uma parte linda que existia em mim. Fui correndo a pouco tempo, tirar ela do escuro para dar um abraço forte e amoroso.

Quando você se autoconhece e reconhece o seu valor, vai trazendo cor para sua vida e seus resultados profissionais se tornam ainda mais consistentes. Tenha certeza disso!

Que tal neste mês das crianças, você buscar a criança linda que está te esperando para um abraço? Ter mais leveza, rir de si mesmo e curtir muito mais o que faz? Amar seus dons e trabalhar com muito mais motivação para transformar o mundo?

Eu, super Aline, fada madrinha, te liberto agora para ser a sua melhor versão e conquistar tudo aquilo que deseja. Assinado: minha criança interior. =)

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://cloudcoaching.com.br/profissional-por-onde-anda-a-sua-crianca-interior/post#.WAS_XugrLIU

Curtiu o artigo? Deixe seu comentário.

Coaching de Carreira: Quando chega a hora de pedir ajuda e olhar para dentro!

Você acredita que tudo caminha bem na sua carreira, mas percebe que quando chega o momento da promoção, ela não ocorre para você. Percebe talvez, que o que acontece é sempre um mesmo ciclo, que lhe desmotiva e não entende o porquê.

Pode ser, por outro lado, que você não vê sentido no que faz. Segunda-feira tornou-se um sacrifício para acordar para ir ao trabalho. Ou, sinceramente, não acredita no seu potencial e não consegue melhorar alguma habilidade necessária para conquistar o que tanto deseja na sua carreira.

O primeiro passo quando isso ocorre é pensar em fazer algum curso, tirar umas férias, coisas que são, sim, importantes para nosso crescimento. Mas, será que buscar fora de nós irá resolver?

Chega um momento que é preciso reconhecer que você precisa de ajuda. Sozinho não consegue compreender o que ocorre e não visualiza novos caminhos, além do foco do problema que vive esta insatisfação.

É nesta hora que você precisa de um suporte profissional para te acompanhar nesta jornada. E um destes caminhos de ajuda é o Coaching de Carreira.

O Coaching é um processo de autoconhecimento e transformação que visa resultados. É um mergulho dentro de você para trazer a consciência o que de fato pode sabotar a sua carreira, as crenças que te limitam e o deixam onde está; mas muito mais do que isso: é a oportunidade de você fazer as pazes consigo e aceitar os talentos que tem. É parar de se culpar e cobrar tanto. Se perdoar e olhar com muito amor para esta versão linda que nem sabe que tem aí dentro.

Sim, você vai ter de olhar para dentro, não tem outra saída. Ah, tem sim! Não querer e escolher com autorresponsabilidade não fazer este caminhar, porém ciente das consequências.

O Coach é um facilitador, para fazer as perguntas certas e mostrar um caminho para se autoconhecer, mas é preciso deixar bem claro, que quem caminha é você. Por isso, um dos fatores essenciais para o sucesso de um processo de Coaching de Carreira é o seu aceite em efetivamente se comprometer consigo e mergulhar nesta jornada. Em compreender que para novos resultados vai precisar mudar suas atitudes, com sua essência, identidade, ou seja, sendo quem você é, mas saindo totalmente da sua zona de conforto.

Para esta entrega ocorrer, escolha bem o profissional que irá te acompanhar. Veja sua experiência, formação, como funciona o processo, depoimentos de outras pessoas e principalmente converse para sentir que é a pessoa certa e você sabe quando é. Assim se iniciará uma parceria com base na confiança.

Não existe mágica, milagres, portanto fique ligado! O que existe é uma parceria de trabalho onde você é o comandante de sua jornada e não o passageiro, nem o vilão e muito menos a vítima.

Quando nos damos conta que somos o maior destruidor dos nossos sonhos, que podemos sim virar a página desta história e construir uma mais incrível, nosso mundo se transforma. É como se você ajustasse a lente de visão, percebendo o seu real papel no mundo e assim, dar passos mais assertivos para conquistar os objetivos que deseja.

Avalie se não é o momento de buscar ajuda. Sempre é tempo de recomeçar. Como diz Marianne Williamson: “Nosso maior medo não é ser insuficiente, nosso maior medo é ser poderoso além da conta. A gente se pergunta: Quem sou eu para ser brilhante, deslumbrante, talentoso e fabuloso? Na verdade: Quem é você então para não ser?”

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/coaching-de-carreira-quando-chega-a-hora-de-pedir-ajuda-e-olhar-para-dentro/post#.V-5sJPArLIU

Tem interesse em iniciar um processo de Coaching de Carreira? Conheça as soluções da Make Different. Clique Aqui.

Não destrua o seu propósito… Honre a sua verdade!

Quando um determinado tema é discutido em diversas frentes, a primeira coisa que penso é que temos algo a aprender a respeito. Mais do que isso, refletir sobre as diversas opiniões muitas vezes até complementares, torna todo este mergulho ainda mais rico.

Nunca se ouviu falar tanto sobre propósito nos 2 anos, principalmente nos últimos meses. Propósito, missão, sentido, porquê; palavras tão especiais que merecem uma atenção especial. Mas antes de dizer qualquer coisa sobre o que é o tal do propósito que anda pipocando por aí, é preciso se dizer, o que não é.

Propósito não tem nenhuma relação com grana, classe social, como se fosse algo elitizado e para poucos. Quem foi que disse que só se tem propósito, quando uma pessoa larga seu emprego atual para fazer algo totalmente diferente? Quem determinou que propósito é escolher uma carreira e morrer nela? Que é jogar tudo para o alto sem planejamento?

Vou mais longe: Onde se aprendeu que trabalhar com o que se ama, com o tal do propósito é sinônimo de trabalhar pouco, sem dedicação, esforço e não fazer nunca mais, nada que não curte? E quem disse que propósito só tem relação com a carreira?

Por favor, não vamos destruir o nosso propósito… Vamos honrar a nossa verdade!

Todos nós estamos aqui para realizar algo ou você acha que está aqui a passeio, só para trabalhar e pagar contas?

Propósito é um modo de operar, é usar os seus talentos a serviço de algo que faça sentido para você. É o que traz significado para as suas ações. É escolher algo que faça seus olhos brilharem e utilizar o que possui de melhor para gerar os resultados que espera para sua vida. É se responsabilizar pela sua jornada e assumir o comando da sua história, com uma atitude positiva e autêntica. É compreender o porquê faz o que faz, com seus comportamentos e pontos positivos.

É sair do piloto automático, onde se faz sem pensar e passar a sentir e fazer parte de algo maior. Como se você se encontrasse, se reconhecesse no que faz, ou seja, tomasse consciência que você está aqui para brilhar na sua vida e carreira.

É dar sentido para sua vida e no caso da carreira, encontrar um caminho que traga significado para você. Onde possa sentir-se inteiro, na sua própria pele; deixando sua marca, mostrando sua identidade e não ser mais um no meio da multidão.

“Ah, mas tenho responsabilidades com minha família, preciso sobreviver e não posso me dar ao luxo de trabalhar com o que amo. Meu trabalho é para me ajudar com as contas” ou “Eu trabalho com algo muito chato, mas é um meio de pagar meus estudos, detesto o que faço. Só faço porque preciso”. Podemos pensar e dizer estas frases.

Maslow, nos presenteou com seu lindo trabalho, nos ensinando algo que parece básico; porém é fundamental: precisamos garantir a nossa sobrevivência em primeiro lugar. Precisamos nos sentir seguros e amados posteriormente. Mas isso não quer dizer que você não possa dar o seu melhor e colher os aprendizados com as experiências que vive. Você pode trabalhar em algo que não gosta, mas pode compreender que faz parte da sua jornada. Que pode colher o máximo de lições sobre postura, liderança, comunicação, relacionamento em algo que não gosta; para ao atuar em algo que ama, colocar em prática o que aprendeu. Tudo depende de onde coloca o seu foco. Somente no problema como um abismo profissional ou visualizar aprendizados para sua jornada como algo que faz parte de sua história. É uma pedra no caminho que impede de evoluir ou que faz parte da paisagem que enriquece seu crescimento.

Pare de julgar e apontar o caminho do outro, pois você se esquece da sua própria jornada. Cada um faz a sua escolha. Todos temos contas para pagar e mesmo assim você pode dar um sentido para o que faz, viver e trabalhar com mais propósito. Parece mais uma desculpa para se sabotar. Afinal, nós somos nossos maiores vilões e sabotamos os nossos sonhos.

Jogar tudo para o alto, sem reflexão e planejamento é loucura; mas ficar onde está apenas reclamando e infeliz também é.

Trabalhar com o que se ama, não quer dizer que nunca mais fará nada que não curte. Sim, você terá atividades que não gosta de fazer, que são essenciais para seus resultados. Porém, a maior parte do tempo estará utilizando os seus talentos em algo que faz sentido para você. Vai se divertir e sentir-se conectado à sua verdade.

Isso é viver e ter uma carreira com propósito. É encontrar um sentido no que faz com seus dons e talentos. É saber onde quer chegar e curtir cada passo. Afinal, a direção é mais importante que a velocidade.

Será que você teria a coragem de viver sua verdade e escolher um caminho mais autêntico? Mergulhe, pratique o autoconhecimento, pois as respostas estão dentro de você.

Propósito é para todos aqueles que querem viver com mais sentido. É escolher o caminho que faça mais conexão com quem você é: pedir demissão, mudar de carreira, desenhar uma nova função, dar o seu melhor no trabalho atual, planejar seu futuro não deixando nas mãos de terceiro. É tudo que te coloque em movimento, como protagonista de sua história.

Bora construir uma vida e carreira com mais significado e brilho nos olhos? Não destrua seu propósito, honre a sua verdade!

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/nao-destrua-o-seu-proposito-honre-a-sua-verdade/post#.V-5rQfArLIU

Curtiu o post? Deixe seu comentário.

5 Atitudes Tóxicas que Impedem a Sua Recolocação.

No contexto econômico que vivemos, se recolocar no mercado de trabalho, se tornou uma tarefa desafiadora. O tempo médio de recolocação, praticamente dobrou e cada dia que passa, a ansiedade aumenta.

Muitas dicas falam o que o profissional deve fazer, porém pouco sobre o que não deve realizar para se recolocar. Porém, observo profissionais com atitudes tóxicas que são verdadeiros tiros no pé. Quer saber quais são?

  1. Reclamar constantemente. Nada está bom, tudo é ruim. Você sabe o que é reclamar? É clamar, ou seja, pedir mais do que tanto fala. Se você diz que tudo é difícil e o mundo é injusto contigo, adivinha o que você recebe? Fique atento ao que pede e verbaliza.
  1. Não encerrar ciclos. Você foi desligado e não elaborou muito bem sua saída, guardando muita mágoa e tristeza. Quando vai para uma nova entrevista, leva toda esta carga emocional negativa e o resultado é a não aprovação e você não compreende o porquê. Encerre os ciclos de histórias, situações, pessoas que não te fazem bem. Guarde apenas o que for bom do que vivenciou. Não carregue na mochila, um peso que não traz nada de positivo. Como novas oportunidades chegarão, se você não abre espaço para tal?
  1. Não querer mudar. A tal síndrome do “eu nasci assim, eu cresci assim”. Passado não é destino, portanto esteja disposto a mudar suas atitudes. Para novos resultados, você precisa de novas ações, portanto busque se autoconhecer, para mapear os seus talentos, sabotadores, pontos a melhorar para criar um plano de atividades para realizar.
  1. Não se preparar. Montar um currículo na pressa, de qualquer maneira e não se preparar para a entrevista é um exemplo clássico de não recolocação. Invista tempo na construção de um currículo consistente. Treine verbalmente contar sobre suas experiências, resultados; mentalize você na entrevista com o recrutador. Se não cuida da preparação, não valoriza seu potencial; o resultado são as pessoas também não valorizarem.
  1. Não buscar alternativas. Não bata apenas na mesma tecla, busque por novos caminhos, maneiras de atuar. Se o mercado na sua área está enfrentando dificuldades, procure desenhar novas perspectivas. Trabalhar como consultor, prestador de serviço, fazer parcerias, empreender. Peça ajuda, troque com pessoas diferentes. Você tem muitos pontos fortes, talentos e pode criar novas soluções para virar o jogo.

O melhor remédio para diminuir esta ansiedade é se colocar em movimento. Cuide de você, converse com as pessoas e colha todos os aprendizados do momento. Atitudes tóxicas são combatidas com esperança, pensamentos e ações que te empoderem, energia positiva e muita vontade de superar qualquer adversidade. Se você identificou alguma atitude tóxica que faz, dê um sacode nesta vibe e comece agora a construir um novo futuro.

Curtiu o artigo? Mande para frente e vamos construir uma rede do bem.

Aprenda a Dizer Não.

Em um mundo repleto de informações, velocidade e responsabilidades, o grande desafio dos profissionais é saber utilizar bem todos estes recursos nas oportunidades a sua volta. Mas o que ocorre, muitas vezes, é assumir uma série de papéis, atividades e desafios; se esquecendo que existe um limite, um equilíbrio. E o que poderia alavancar sua carreira, pode na verdade, prejudicar por conta de uma simples atitude: dizer não.

Parece algo simples, mas muitos profissionais precisam desenvolver esta habilidade de estabelecer limites claros e aprender a dizer não.

O primeiro não que você precisar dar é para você mesmo. Como assim? Você precisa ter clareza do que realmente é importante para você. Definir suas prioridades para o momento atual é o ponto de partida para se estabelecer limites.

Você precisa compreender que não pode carregar o mundo sozinho e pode sim compartilhar com as outras pessoas. Além disso, precisa mapear os seus não negociáveis, ou seja, as coisas que são essenciais para você e não abre mão. Tenha clareza do seu papel e responsabilidade no contexto que está e aprenda a respeitar o seu limite seja mental, comportamental, físico ou emocional.

Isso não quer dizer, deixar o comprometimento de lado ou diminuir seu desempenho; muito pelo contrário, quer dizer, honrar a sua verdade e se respeitar.

O grande vilão de não dizermos não para as pessoas é a Agradabilidade. Por medo ou receio de não ser querido, não receber afeto, atenção, de perder o espaço que conquistamos com as pessoas; acabamos não estabelecendo limites, não deixando claro os papéis e dizendo não. Mas esta é uma recompensa imediata, pois no momento que podemos deixar claro o que queremos, acabamos em busca desta aceitação do outro nos anulando; porém a médio/longo prazo, não resolvemos o problema e nos sentimos frustrados.

Para mudar esta situação, identifique exatamente o que está por trás de evitar dizer não. Se pergunte: Para conseguir dizer não e estabelecer limites, o que vou precisar perder? Qual a recompensa imediata ao evitar o não? Você vai mapear exatamente o que estar te sabotando para mudar este comportamento.

Ao respeitar as suas prioridades você para de se justificar ao dar um não. Muitas vezes, estamos justificando para nós o fato de não poder assumir determinado projeto. Inconscientemente, temos o receito de perder espaço e ser lembrado. Ao invés disso, se pergunte: Como posso ganhar espaço e ter sucesso na carreira, através dos meus talentos, com limites e papéis claros?

Com isso, você receberá as mesmas recompensas, dando o seu melhor, porém honrando a pessoa mais importante: você.

Curtiu o post? Mande para frente!

Minha carreira parou e agora?

Você tem a sensação de que está estagnado na carreira? Percebe que está patinando ou que de um ano para cá, não cresceu profissionalmente? Se a resposta é sim, confira abaixo como virar o jogo e decolar a sua carreira:

1 – A primeira coisa que precisa ter clareza é que a qualquer momento você tem a escolha de fazer diferente. Ah, mas parece simples. Mas é simples assim! Diga para você mesmo: “agora já deu” e use seu livre arbítrio para entrar em ação e fazer acontecer;

2 – Autorresponsabilidade é fundamental. Chega de buscar culpados, assuma o controle de sua carreira. Não espere a empresa, gestor, crise e o mundo mudarem para você se desenvolver. Já dizia a linda frase de Gandhi, “Seja a mudança que você quer ver no mundo”;

3 – Pratique o autoconhecimento. Como pode enxergar caminhos, seus talentos e gaps se você não olhar para dentro? As pessoas podem mostrar um caminho, mas a jornada é sua. Não tenha medo de descortinar algumas camadas em você, mergulhe e busque pelo melhor formato que faz sentido neste momento;

4 – Saia da zona de conforto. Sabe aquele lugar quentinho, seguro e estável? Pois então, ele não irá te levar ao seu próximo nível. Desafie-se! Busque caminhos, arrisque-se! Use a sua melhor versão para te dar a certeza que pode ir mais longe;

5 – Mude suas crenças agora sobre você. Frases como “nada dá certo para mim, tudo é mais difícil, todos têm talento menos eu, não acredito no meu potencial”; simplesmente são como sanguessugas da sua energia, motivação e coragem. Mude suas frases, observe o talento lindo que tem aí dentro e que só você não percebeu ainda;

6 – Crie metas para sua carreira. Tenha claro onde quer chegar e crie um plano de ação. Torne-se o CEO da sua carreira. Coloque prazos e cobre seus resultados;

7 – Pratique a lei dos 2 pés. Algo não vai bem na sua carreira ou trabalho atual? Use a lei dos 2 pés: saia de um lugar e use seus 2 pés para ir a outro. Entre em ação sempre;

8 – Evite se perguntar por quê. Mas, por que não fui promovido? Por que minha carreira parou? O porquê não traz nada de novo, apenas vai buscar explicações no passado para justificar o presente. Troque por de que maneira posso ser reconhecido e promovido? O que, como, quem pode me ajudar nisso?;

9 – Pare de reclamar e comece a agradecer. Reclamar é clamar de novo por algo. Se você reclama que não tem reconhecimento, está inconscientemente pedindo mais disso;

10 – Comece a agradecer no início e ao final do seu dia por todas as bençãos e aprendizados. Troque esta vibe por uma semana e veja o que acontece;

11 – Colha os aprendizados. Enquanto você não aprender o que é necessário, você não vai evoluir e crescer; pelo contrário, continuará neste ciclo vicioso de estagnação. Se pergunte: o que preciso aprender com isso? O que se repete? Qual o padrão? Qual atitude preciso mudar a partir de agora?

O passo mais importante é você se colocar em movimento. Nenhuma destas dicas será eficaz se você ficar só no mundo das ideias. Só pensar vai te deixar no mesmo lugar e te sabotar. Que tal escolher uma destas dicas e colocar em ação nesta semana? Está nas suas mãos.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/minha-carreira-parou-e-agora/post#.V3pWArgrLIU

Quer sair do piloto automático? Faça Coaching e coloque-se em ação rumo aos seus objetivos. Encontre a solução ideal na Make Different. Clique Aqui.