Tag - autossabotagem

O líder herói.

Um dos maiores desafios dos líderes na era exponencial é como engajar o time para resultados de alta performance. E com este desafio, surgem ferramentas, processos para mudar o mindset e comportamento das pessoas para que conectem seu propósito às suas atividades.

Mas a pergunta que fica é: E o líder? O que ele faz no seu dia a dia para potencializar o que cada colaborador tem de melhor? Ele adota uma postura de facilitador para construir um time forte ou fica na figura do líder herói?

O líder herói é aquele que sabe tudo, que é o pilar mais importante da equipe. O líder herói não tira férias, pois se ficar um dia fora da operação é sinal de caos. Muitas vezes nem é por arrogância a sua atitude, é por mindset de querer ter todas as respostas e sempre estar pronto para apoiar sua equipe.

O líder não precisa ser a pessoa mais esperta do time. Ele precisa de pessoas com habilidades que o complementam, que possam ensinar e crescer cada dia mais. Pessoas com iniciativa, mão na massa e vontade de fazer acontecer. Com isso, você cria um sentimento de responsabilização em todo grupo ao invés de ficar apenas no líder. Isso traz leveza e fluidez no exercício da gestão.

Para que o líder desenvolva um time forte ele precisa primeiro se autoconhecer. Ram Charan nos apresenta o pipeline de liderança que fala das fases dos líderes e a primeira fase é liderar a si mesmo.

É preciso conhecer o seu perfil e principalmente a forma como você delega tarefas. O líder herói tem dificuldade de delegar. Ele pode até delargar, mas pode se esquecer de acompanhar com consistência o que gera retrabalhos e dando espaço novamente para o líder herói.

Há um sabotador no líder herói que pode ter receio de perder algo, mesmo que inconsciente, ao deixar de ser herói. Pode ter receio de perder sua posição, de sua equipe saber mais. Para se tornar um líder consistente é preciso mudar este mindset que liderança é posição.

Para delegar, o gestor precisa avaliar em cada colaborador: o que delegar, quando e de que maneira o prepara tal. Delegação é oportunidade de desenvolver seu time e atuar de forma estratégica. É transferir não apenas atividades importantes, mas também a responsabilidade e accountability.

O líder que acredita que ser herói é o ideal, acaba se achando insubstituível e isso pode ser um risco, pois também não ser promovido, uma vez que não forma novos líderes e potencializa a capacidade de cada membro da sua equipe.

Tim Gallwey diz que se você quer mudar alguma coisa, aumente sua consciência sobre ela. E faço este convite para você avaliar: Estou desenvolvendo minha equipe para chegar onde não chegariam sozinhas? Minha agenda tem foco para potencializar as competências do seu time? Quero que o meu time adquira tarefas e projetos consistentes? Sou um facilitador ou herói desta equipe?

Um exercício é pedir feedback e estar aberto para tal. Afinal, um líder da era exponencial vê sempre uma oportunidade para melhorar e crescer. Fica a dica.

Curtiu este post? Compartilhe com sua rede!

Já conhece o canal do Youtube do Sacadas de Carreira? Clique Aqui!

Não deixe o crítico sabotar o seu potencial.

Grande parte dos profissionais possui clareza de que tem pontos fortes e pontos a desenvolver. Com isso, a sua maneira, buscam o desenvolvimento de plano de ação para que isto não prejudique a sua carreira. Contudo, alguns profissionais possuem muita dificuldade de reconhecer seu bom trabalho, acreditando que sempre precisam crescer ainda mais e aquilo que deveria ser uma melhoria contínua passa a ser um sabotador crítico detonando o seu potencial.

Segundo Shirzad Chamine, autor do livro Inteligência Positiva, todos nós temos um sabotador crítico, ou seja, todos temos aquele dedo apontando para si, dizendo que não é bom suficiente.

Um sabotador é um mecanismo, muitas vezes inconsciente, que possui a função de nos proteger. Ele cria como um alerta para te sinalizar algo que pode vir a ser um desafio, mas muitas vezes, internalizamos, como algo 5x mais desafiador, nos amedrontando ou simplesmente paralisando.

O sabotador crítico nos sinaliza que podemos sempre continuar numa crescente, porém, podemos não valorizar as pequenas conquistas diárias e nunca podemos curtir ou simplesmente relaxar.

Esperamos sempre o big break, ou seja, um grande acontecimento para, aí sim, reconhecermos nosso bom desempenho e quando algo sai errado, elevamos a régua e nos culpamos, achando que é o fim do mundo.

A sacada é que devemos, sim, pensar na meta maior, mas no dia a dia devemos focar no processo, nos pequenos passos e precisamos ter protagonismo e resiliência para numa era exponencial que vivemos, onde tudo muda a cada dia, nos adaptar aos desafios.

Algumas dicas para você não deixar seu sabotador crítico detonar seu potencial:

  • Reconheça o seu bom desempenho nas pequenas atividades diárias. Não importa que é um relatório que você faz sempre, por exemplo. Valorize cada etapa onde tem a oportunidade de colocar em prática algo que você faz bem;
  • Resgate na sua história os momentos que sente orgulho. Faça uma linha do tempo com todos os pontos de sua vida pessoal e profissional onde conseguiu superar um desafio ou crescer com sua atitude;
  • Peça feedback para as pessoas sobre a transformação positiva que você causa na vida delas. As pessoas se conectam contigo por algo que você tem de único. Esteja aberto para esta troca;
  • Busque aprender com o erro, pois ele é uma grande oportunidade de gerar protagonismo. Mais do que se conectar com o erro é buscar soluções práticas para entrar em ação;
  • Curta a jornada. Confie que nem tudo está no seu controle e você dá o seu melhor. Tenha momentos onde possa celebrar e se divertir, assim tudo fluirá com mais clareza.
  • Busque canalizar esta energia do crítico em momentos prazerosos como fazer exercícios, estar com pessoas que ama e te fazem bem. Esta troca te retroalimenta para seguir adiante.
  • Confie no potencial de fazer a diferença. Quando damos nosso melhor com protagonismo, alinhado ao que acreditamos, nossos resultados crescem ainda mais.

Curtiu este post? Compartilhe com sua rede.

A Síndrome do Sabe Tudo: Atenção, você faz sem perceber!

Não importa a sua geração, cargo ou propósito, você absorve informações e gera aprendizados com suas experiências pessoais e profissionais. Porém, a sua atitude frente ao seu momento atual com sua base ou melhor, caixa de ferramentas, pode fazer com que queira ter um olhar mais crítico sobre as coisas, querer compartilhar o que conhece; mas pode fazê-lo de uma forma totalmente errônea.

A sua atitude pode torná-lo intolerante, excessivamente crítico a ponto de prejudicar sua conexão com as pessoas e o pior cenário: perder sua essência e autenticidade.

Talvez você não se dê conta, mas tem a síndrome do sabe tudo.

Você acha que as pessoas não fazem diferente porque não querem, sem compreender a fundo o que se passa, julga de forma irônica e agressiva ou sai querendo resolver dando caminhos, se esquecendo que do outro lado há uma pessoa com livre arbítrio, vontades e emoções.

Ao invés de se conectar com o outro, fere pontos essenciais da empatia: compete com o outro, não aprende com ele, se coloca num patamar superior, julga usando rótulos sem notar os conflitos que surgem; resultando em discussões ou afastando as pessoas.

A síndrome do sabe tudo tem como pilar as suas crenças e julgamentos, pois com sua verdade formada internamente, coloca uns óculos para enxergar a sua realidade, mas não percebe que os outros também possuem suas realidades. Acaba através do juízo de valor e não real, não se conectando e utilizando o que pode agregar com seus conhecimentos para as pessoas.

Se esquece do principal: será que de fato pratica a fundo o que julga e fala que faz ou se sabota com a camada protetora não olhando para a real verdade por trás da casca de sabe tudo?

Não mostrar sua vulnerabilidade, não querer perder a razão, controle, espaço e afeto são alguns dos fatores que sabotam o sabe tudo, entre outros.

A mudança pode ocorrer a qualquer momento, quando você se coloca como um aprendiz, mesmo diante de assuntos que já conhece. Até porque pode gerar novos insights e reflexões.

Tem uma frase de Klauss Vianna, coreógrafo e bailarino que dizia aos seus alunos: Façam a aula que já conhecem de outro lugar da sala, desta forma, pode ter uma nova visão do espaço e melhorar ainda mais sua performance.

Deixo aqui esta reflexão para que utilize seus talentos para crescer, inspirar e transformar. Conexões profundas e mais autênticas seguem caminhos da troca e da simplicidade.

Curtiu este post? Que tal mudar sua configuração mental? Leia agora!

Quer gerar mais protagonismo em ação? Faça Coaching!! Conheça a Make Different, empresa de soluções de desenvolvimento profissional de Aline Gomes. Clique Aqui.

10 Sacadas para virar o jogo e detonar a sua zona de conforto

Você se conhece e sabe quando mais uma vez entrou no ciclo da autossabotagem e zona de conforto. Deixa para depois, dá mais força para os medos e justifica até a letra Z, porque não deve mudar. Mas não fica feliz, pois sabe que precisa agir e tomar uma atitude.

Está na hora de detonar a sua zona de conforto! Confira 10 sacadas práticas:

  1. Chega de mimimi! Pare de reclamar e se colocar como vítima da situação. Assuma o momento que está e encare sua vida como o protagonista
  2. Dê nome aos bois. Comece a nomear o que sente. Está com medo? Do quê? Por quê? De onde ele vem? Não pare apenas diante da emoção, seja um curioso para descobrir sua causa
  3. Seja um detetive! Seu corpo, pensamentos dão sinais quando algo não vai bem. Diante do crítico interno negativo, busque compreender o que está por trás desta voz que te paralisa. Cave, pelas crenças, as verdades que acreditou e podem ser mudadas
  4. Autoconhecimento na veia. Mergulhe dentro de você para entender quais são as suas motivações, talentos, dores, etc. Não consegue sozinho? Está tudo bem. Busque pela ajuda de um profissional para te apoiar nesta jornada
  5. É preciso querer. Não fazer nada também é uma escolha, mas desde que seja consciente e não fique reclamando depois. Novos resultados não virão deste lugar quentinho. Se sua vontade de mudar ou conquistar um sonho é forte dentro de você, nada irá te parar
  6. Defina objetivos realistas. Será que suas metas não saem do papel, porque são inatingíveis e impossíveis de realização? Um passo de cada vez na direção certa é mais tangível que sonhar com algo que tem clareza que será distante demais. Ambição é preciso, sonhar grande também, mas é essencial ser tangível e viável para evitar frustração
  7. Falta de tempo e dinheiro não colam mais como desculpas. Veja possibilidades, alternativas, parcerias. Sabemos da importância destes recursos, mas quem adora uma zona de conforto, usa esta desculpa para não sair do lugar
  8. Coloque a boca no trombone. Ei, peça ajuda! Mexa-se! Fale ao mundo a sua ideia. Troque para clarear o caminho. Ficar resmungando sozinho não irá te fazer sair do lugar
  9. Você é capaz! Acredite, senão nem comece! Conquistar o que deseja não é questão de sorte e sim de determinação, persistência. Foco que pode e já fez coisas grandiosas. Duvida? Olhe para a sua história
  10. Ação, ação, ação. Ficar somente no mundo das ideias, te deixa onde está. Chega de pensar e sentir. A palavra agora é agir.

Que ao final deste artigo, você consiga escolher uma ação, não importa o tamanho, para colocar em prática. Mexa nas suas bases, revire suas estruturas. Tente, erre, faça e dê o seu melhor. A decisão interna de mudar é começo da virada de jogo.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://cloudcoaching.com.br/10-sacadas-para-virar-o-jogo-e-detonar-a-sua-zona-de-conforto/post#.Wc0dhmhSzIU

Curtiu o post? Mande para frente! Compartilhe com a sua rede.

Aprenda a desatar os nós de sua carreira.

Você consegue identificar com clareza, qual o ponto de sua carreira que está impedindo você de ter sucesso e reconhecimento? Não importa se você é empreendedor, profissional de uma empresa, autônomo ou está buscando uma nova posição. Você sabe mapear, qual é o nó que o faz girar em círculos e ficar sempre no mesmo lugar ou ainda, não visualizar uma saída no meio da escuridão?

Existem 3 tipos de “nós” que vivenciamos na nossa carreira ou situação em nossa vida: o nó do não ver, do não saber e do não querer. Esta é uma técnica eficaz de autoconhecimento. Procure mapear qual nó está, vamos juntos?

O primeiro nó é o do não ver. Muitas vezes, a pessoa não consegue ter clareza do que está travando para dar um passo e atingir o próximo nível. Não tem noção de como seu perfil comportamental se mostra no contexto em que vive e assim fica confuso, pois acha que dá o seu melhor, mas não obtém o resultado esperado.

Se você está neste nó, procure pedir feedback para as pessoas à sua volta. Solicite que fale pontos positivos e que precisa melhorar. Esteja aberto para receber, pedindo exemplos para clarificar. Um processo de autoconhecimento como Coaching, pode te apoiar nesta clareza sobre seu perfil.

O segundo nó é o do não saber. Alguns profissionais, líderes e empreendedores simplesmente não sabem como sair de uma situação que os deixam frustrados, angustiados ou com a pulga atrás da orelha, os fazendo perder o sono. Pode ser falta de algum conhecimento ou até mesmo de novas perguntas para pensar de uma forma diferente, um novo olhar sobre aquela situação que você tanto visualiza e não compreende qual a chave que abre aquela porta que parece emperrada.

Um caminho é buscar por mentores ou pessoas que podem trocar de forma neutra e agregar com perguntas e perspectivas diferentes.

E por fim, o último nó é o do não querer. Por medo, insegurança ou algo que o impede de agir, faz com que não queira dar um próximo passo. Isso pode ser consciente ou não. Mas este nó é onde faz nossa atitude não mudar e ficarmos muitas vezes naquele lugar quentinho e seguro chamado zona de conforto, conhece?

Diante desta situação, procure investigar a fundo quais são os sabotadores que te impedem de agir. Eles trazem recompensas positivas, mas o tiram de sua jornada de brilhar e evoluir. Para novos resultados, você precisa de novas atitudes; terá de se arriscar e se mexer.

Você consegue mapear com estes 3 nós onde está?

Colocar um pouco de luz trazendo a consciência de onde estamos é o primeiro passo para se movimentar na direção da mudança que tanto queremos; tenha certeza disso.

Que esta sacada possa te ajudar em situações desafiadoras no seu dia a dia, para não apenas identificar o que se passa, mas saber como agir numa conversa difícil, seja com seu gestor, colaborador ou cliente. Entenda de forma empática, troque de lugar com o outro e veja onde está, para assim, oferecer a solução e melhor caminho para obter o resultado esperado.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://cloudcoaching.com.br/aprenda-a-desatar-os-nos-de-sua-carreira/post#.WSxMKGgrLIU

Precisa de ajuda para desatar estes nós? Assine a newsletter e receba em seu e-mail o e-book “Pare de Sabotar a Sua Carreira!”

Aprenda a Dizer Não.

Em um mundo repleto de informações, velocidade e responsabilidades, o grande desafio dos profissionais é saber utilizar bem todos estes recursos nas oportunidades a sua volta. Mas o que ocorre, muitas vezes, é assumir uma série de papéis, atividades e desafios; se esquecendo que existe um limite, um equilíbrio. E o que poderia alavancar sua carreira, pode na verdade, prejudicar por conta de uma simples atitude: dizer não.

Parece algo simples, mas muitos profissionais precisam desenvolver esta habilidade de estabelecer limites claros e aprender a dizer não.

O primeiro não que você precisar dar é para você mesmo. Como assim? Você precisa ter clareza do que realmente é importante para você. Definir suas prioridades para o momento atual é o ponto de partida para se estabelecer limites.

Você precisa compreender que não pode carregar o mundo sozinho e pode sim compartilhar com as outras pessoas. Além disso, precisa mapear os seus não negociáveis, ou seja, as coisas que são essenciais para você e não abre mão. Tenha clareza do seu papel e responsabilidade no contexto que está e aprenda a respeitar o seu limite seja mental, comportamental, físico ou emocional.

Isso não quer dizer, deixar o comprometimento de lado ou diminuir seu desempenho; muito pelo contrário, quer dizer, honrar a sua verdade e se respeitar.

O grande vilão de não dizermos não para as pessoas é a Agradabilidade. Por medo ou receio de não ser querido, não receber afeto, atenção, de perder o espaço que conquistamos com as pessoas; acabamos não estabelecendo limites, não deixando claro os papéis e dizendo não. Mas esta é uma recompensa imediata, pois no momento que podemos deixar claro o que queremos, acabamos em busca desta aceitação do outro nos anulando; porém a médio/longo prazo, não resolvemos o problema e nos sentimos frustrados.

Para mudar esta situação, identifique exatamente o que está por trás de evitar dizer não. Se pergunte: Para conseguir dizer não e estabelecer limites, o que vou precisar perder? Qual a recompensa imediata ao evitar o não? Você vai mapear exatamente o que estar te sabotando para mudar este comportamento.

Ao respeitar as suas prioridades você para de se justificar ao dar um não. Muitas vezes, estamos justificando para nós o fato de não poder assumir determinado projeto. Inconscientemente, temos o receito de perder espaço e ser lembrado. Ao invés disso, se pergunte: Como posso ganhar espaço e ter sucesso na carreira, através dos meus talentos, com limites e papéis claros?

Com isso, você receberá as mesmas recompensas, dando o seu melhor, porém honrando a pessoa mais importante: você.

Curtiu o post? Mande para frente!

Minha carreira parou e agora?

Você tem a sensação de que está estagnado na carreira? Percebe que está patinando ou que de um ano para cá, não cresceu profissionalmente? Se a resposta é sim, confira abaixo como virar o jogo e decolar a sua carreira:

1 – A primeira coisa que precisa ter clareza é que a qualquer momento você tem a escolha de fazer diferente. Ah, mas parece simples. Mas é simples assim! Diga para você mesmo: “agora já deu” e use seu livre arbítrio para entrar em ação e fazer acontecer;

2 – Autorresponsabilidade é fundamental. Chega de buscar culpados, assuma o controle de sua carreira. Não espere a empresa, gestor, crise e o mundo mudarem para você se desenvolver. Já dizia a linda frase de Gandhi, “Seja a mudança que você quer ver no mundo”;

3 – Pratique o autoconhecimento. Como pode enxergar caminhos, seus talentos e gaps se você não olhar para dentro? As pessoas podem mostrar um caminho, mas a jornada é sua. Não tenha medo de descortinar algumas camadas em você, mergulhe e busque pelo melhor formato que faz sentido neste momento;

4 – Saia da zona de conforto. Sabe aquele lugar quentinho, seguro e estável? Pois então, ele não irá te levar ao seu próximo nível. Desafie-se! Busque caminhos, arrisque-se! Use a sua melhor versão para te dar a certeza que pode ir mais longe;

5 – Mude suas crenças agora sobre você. Frases como “nada dá certo para mim, tudo é mais difícil, todos têm talento menos eu, não acredito no meu potencial”; simplesmente são como sanguessugas da sua energia, motivação e coragem. Mude suas frases, observe o talento lindo que tem aí dentro e que só você não percebeu ainda;

6 – Crie metas para sua carreira. Tenha claro onde quer chegar e crie um plano de ação. Torne-se o CEO da sua carreira. Coloque prazos e cobre seus resultados;

7 – Pratique a lei dos 2 pés. Algo não vai bem na sua carreira ou trabalho atual? Use a lei dos 2 pés: saia de um lugar e use seus 2 pés para ir a outro. Entre em ação sempre;

8 – Evite se perguntar por quê. Mas, por que não fui promovido? Por que minha carreira parou? O porquê não traz nada de novo, apenas vai buscar explicações no passado para justificar o presente. Troque por de que maneira posso ser reconhecido e promovido? O que, como, quem pode me ajudar nisso?;

9 – Pare de reclamar e comece a agradecer. Reclamar é clamar de novo por algo. Se você reclama que não tem reconhecimento, está inconscientemente pedindo mais disso;

10 – Comece a agradecer no início e ao final do seu dia por todas as bençãos e aprendizados. Troque esta vibe por uma semana e veja o que acontece;

11 – Colha os aprendizados. Enquanto você não aprender o que é necessário, você não vai evoluir e crescer; pelo contrário, continuará neste ciclo vicioso de estagnação. Se pergunte: o que preciso aprender com isso? O que se repete? Qual o padrão? Qual atitude preciso mudar a partir de agora?

O passo mais importante é você se colocar em movimento. Nenhuma destas dicas será eficaz se você ficar só no mundo das ideias. Só pensar vai te deixar no mesmo lugar e te sabotar. Que tal escolher uma destas dicas e colocar em ação nesta semana? Está nas suas mãos.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/minha-carreira-parou-e-agora/post#.V3pWArgrLIU

Quer sair do piloto automático? Faça Coaching e coloque-se em ação rumo aos seus objetivos. Encontre a solução ideal na Make Different. Clique Aqui.

7 Sacadas para Desenvolver o seu Foco.

Você tem dificuldades de manter o foco em alguma atividade? Percebe que não se mantém orientado aos seus objetivos? O seu foco determina a sua realidade, uma vez que tudo o que cuidamos cresce. Muitas vezes, os desafios vêm para que possamos ter certeza se realmente aquele projeto, carreira ou negócio são realmente importantes para nós.

Para te apoiar a desenvolver o seu foco, seguem 7 sacadas práticas:

1 – Tenha uma visão de raio laser. Muitos profissionais possuem uma visão de lâmpada, ou seja, direciona o seu olhar para inúmeras tarefas, projetos e acabam se perdendo. Sua energia fica completamente confusa. Se pergunte: o que realmente é importante para mim? Aprenda a direcionar seu olhar para aquilo que irá efetivamente te levar ao sucesso, ao seu objetivo. Crie uma visão de raio laser, ou seja, escolha o que realmente te levará ao seu próximo nível, desta forma, terá clareza do que precisa realizar.

2 – Aprenda a dizer não. O ambiente externo fará de tudo para te tirar do caminho, com distrações, demandas adicionais ou novos projetos. Avalie o que faz sentido para te apoiar nas suas metas e aprenda a dizer não. Inicialmente aceite que não terá condições de carregar o mundo e também aprenda a dar não para os outros, colocando limites e definindo responsáveis. Esta é uma atitude madura e responsável consigo mesmo.

3 – Cuidado com as redes sociais e grupos de whatsapp. As ferramentas são excelentes recursos de rápido acesso, interação e parcerias; mas cuidado, pois elas podem se tornar vilões do seu foco e produtividade. Inicie seu dia com tarefas que te movam para seu propósito. Diante de projetos que demandam sua concentração, a dica é deixar o celular no modo avião ou silenciar os grupos de whatsapp. Deixe as redes sociais para momentos de pausa e café, pois elas farão de tudo para que fique conectado e aquela curtida de 5 min, se torna 30 min num piscar de olhos.

4 – Compreenda o objetivo da atividade e qual é o seu papel. É fundamental você entender o que é esperado de sua função, qual seu propósito; assim terá consciência do seu valor naquele projeto e muito mais motivação. O mesmo ocorre com o objetivo da tarefa. Quando compreende o porquê precisa realizar determinada tarefa, sente-se parte integrante de um todo e não algo mecânico e sem sentido.

5 – Gerencie com qualidade os seus e-mails. Sabe quando você começa a responder um e-mail e eles começam a se multiplicar? Você começa a apagar um incêndio de um e-mail e nota que ao final do dia, não concluiu nada do que se propôs. Aprenda a gerenciar seu tempo nas respostas. Uma sacada é você escolher 2 períodos do dia com horários determinados para responder seus e-mails. Com isso, terá foco e qualidade para colocar seus talentos para brilhar.

6 – Se necessário, utilize o Pomodoro Technique. É uma técnica excelente para te manter concentrado numa determinada tarefa. Você deverá realizar seu trabalho em blocos de tempo, os chamados pomodoros. Cada pomodoro tem 25 minutos, onde você tem 100% do seu foco na atividade, sem interrupções. Ao final dos 25 minutos, você deverá realizar uma pausa de 5 minutos. A cada 4 sequência de pomodoros, pode realizar uma pausa maior de 30 minutos.

7 – Lista de tarefas. Saiba no início do seu dia, exatamente o que precisa realizar para seu propósito e resultados serem alcançados. Uma sacada é criar uma lista de tarefas, com 4 no máximo 5 principais que precisa executar ao longo do dia. Coloque as prioridades e mãos à obra!

Com estas dicas, você direciona a sua energia ao que realmente é importante para sua carreira, projeto ou negócio. Busque alternativas, caminhos onde possa utilizar a sua criatividade não apenas para melhorar seu foco, mas também para trazer mais leveza e diversão ao seu dia. O mais importante é você ao final dele você dizer: “Hoje eu utilizei os meus talentos para exercer meu propósito e conquistar meus resultados”.

Curtiu o post? Comente como faz para desenvolver o seu foco.

Xô Procrastinação! 4 Passos para entrar em Ação!

Você sabe que precisa realizar uma atividade, mas deixa para depois? Percebe que tem um prazo para entregar um projeto, mas deixa tudo para a última hora?

Procrastinação é o nome deste vilão que pode sabotar a sua carreira. Numa pesquisa realizada com um grupo de participantes de processo de Coaching em 2015, um dos 4 principais gaps a desenvolver foi a procrastinação.

Se você quer dar um basta neste vilão, seguem 4 passos para você entrar em ação.

1 – Reconheça que você procrastina. Assumir que você precisa mudar é o primeiro passo. Independente do ambiente externo, avalie o que você exatamente precisa melhorar. A grande mudança ocorre de dentro para fora.

2 – Pratique o autoconhecimento. Se conhecer, permitirá observar, mergulhar fundo na sua história, buscando os padrões que se repetem, ou seja, situações que te fazem procrastinar. Desta forma, entrará em contato com a origem do problema, vai perceber os exemplos e motivos que te fizeram procrastinar. Vai notar as consequências que têm vivido com esta atitude e quais ações precisam ser tomadas com mais clareza.

3 – Encontre o núcleo do problema. Mergulhe fundo na causa raiz, na razão pelo qual você procrastina, pois será revelador. Nós criamos mecanismos de defesa para lidar com as situações estressantes e difíceis na nossa vida e carreira, mas eles podem se tornar sabotadores que ficam lá dentro do seu inconsciente e te tirar do seu objetivo.

Muitas vezes podemos nos sabotar por uma recompensa imediata, mas no longo prazo, podemos diminuir nosso desempenho, cair na qualidade do nosso trabalho e prejudicar a carreira. Pense, por exemplo, quando você tem um relatório importante para entregar e deixa para depois, pois neste momento, não tem todas informações para fazer. Outro exemplo é quando evita colocar seu ponto de vista para o outro que é divergente, por receio da relação estremecer; assim você se protege neste ganho imediato, porém sabe que não resolveu o problema. O resultado pode ser a frustração ou uma ansiedade ainda maior.

Podemos procrastinar por medo de algo, por não nos sentirmos prontos e capazes suficientes. Também planejar demais e nunca tirar os sonhos e metas do papel. Descubra seus medos, dê voz as inseguranças para saber como lidar com elas. Por outro lado, procrastinamos atividades não relevantes, que precisamos definir se são passíveis de realização. Se não for prioridade e realmente essencial para você neste momento, você terá grandes chances de deixar para depois. Mas avalie quando irá efetivamente realizar ou delegue / elimine esta atividade.

Investigue a causa e identifique a recompensa imediata, assim terá consciência de suas ações.

4 – Defina uma nova ação com um prazo. Busque novas soluções e alternativas para realizar aquela atividade. Veja como tornar mais prazerosa. Use sua criatividade, se permita colocar uma pitada de diversão e leveza. Sempre existem outros caminhos. Se realmente aquela atividade é importante para alavancar a sua carreira ou negócio, entre em ação. Leve o medo junto!

Coloque prazos para seus sonhos, metas e divulgue isso para seus colegas, amigos e gestores. Desta forma, se compromete consigo, com os outros e já se coloca em movimento.

O melhor remédio para dar um xô na procrastinação é a ação. Isso significa sair da zona segura, confortável, para fazer diferente. Mesmo que em outras situações, não tenha obtido sucesso, acredite na sua capacidade de fazer melhor, de mudar. Se arrisque, inove, experimente. Você só saberá o resultado se entrar em ação. O “se” e o “depois”, podem fazer sua carreira parar e você se frustrar ainda mais.

Entrar em ação é ter a certeza de ganho de oportunidades únicas, aprendizados, histórias para contar e fazer a sua carreira ter muito mais significado. Que tal dar um basta no depois e agir agora? Agora vai lá e faz!

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/xo-procrastinacao-4-passos-para-entrar-em-acao/post#.V3kifbgrLIU

Quer parar de procrastinar? Assine a newsletter e receba em seu e-mail o e-book “Pare de Sabotar a Sua Carreira”.

Pare de Sabotar a sua Carreira!

Você já parou para refletir porque sua carreira para ou muitas vezes você coloca foco mais nos seus pontos a melhorar do que nos seus talentos?

Você quer obter êxito num projeto, ser reconhecido na sua carreira, mas por algum motivo não entende porque se sente inseguro, não acredita no seu potencial, deixando o stress, a falta de foco e procrastinação terem mais voz que todos os talentos e dons que possui.

Você pode dizer que tem alguns culpados: o tempo, a falta de dinheiro, a empresa, seu gestor, a crise; mas a grande verdade é que você pode estar se sabotando.

Mas como me sabotando se quero ter sucesso? Calma que você não faz isso de forma consciente e intencional.

Nós temos acesso a apenas 15% do que temos dentro de nossa mente através da consciência, mas 85% ficam guardados no nosso inconsciente. Nossa mente cria padrões de acordo com as experiências vividas desde a infância. Assim são criadas as crenças que são as verdades que você passa a crer quando vivencia as situações em sua vida.

Os hábitos são formados por comportamentos que foram automatizados pelo seu cérebro através da repetição. Quando você acredita que não é capaz, por exemplo, cria pensamentos que comprovam esta verdade gerando emoções como insegurança, medo ou um comportamento mais fechado de proteção sendo duro consigo e com os outros, por exemplo. Com a repetição, isso se torna um hábito uma vez que seu cérebro automatiza este comportamento para te liberar para pensar e acessar novas coisas.

Quando queremos mudar algo na nossa carreira, estabelecemos novos comportamentos que queremos adotar como ter mais foco, nos sentir confiantes em nossa capacidade, determinados para o sucesso. É como se você falasse para seu corpo e mente: “Agora vai ser diferente” e ele entende isso como uma ameaça, pois você já internalizou um padrão que te protege de forma segura. E seu inconsciente diz “não, isso é uma ameaça; vamos ter de sair deste lugar seguro! ”. O seu sistema nervoso logo entende o recado e te sabota criando, para te proteger, reações emocionais e comportamentais negativas.

Você se empolga com o projeto, mas não faz nada na prática de novo e talvez se frustre novamente. Este é um tipo de processo de auto sabotagem. Um sabotador é algo que te tira do seu objetivo e ter consciência do que pode sabotar a sua carreira é o primeiro passo para mudar.

Tome nota de todos os seus pontos a melhorar e das desculpas que você se dá. Em seguida, se pergunte: o que eu ganho de continuar usando meus pontos a melhorar e dando estas desculpas? Aparentemente nada, mas pense não só em ganhos positivos, mas negativos também. Ganho de stress, tristeza, frustração entre outros são seus sabotadores de dor que tiram você do seu caminho, mas geram dor.

Em seguida, pergunte-se o que vou perder se continuar com estes comportamentos? Vai notar que vão surgir coisas prazerosas e positivas. Perceba que ao se comportar de determinada forma você tem ganhos e perdas positivas e negativas.

Agora reflita: o que vou ganhar se passar a acreditar nos meus talentos, ter foco e equilíbrio emocional, por exemplo? Te apresento seus motivadores de prazer, pontos que te enchem de alegria e energia. Eles te movem para seus objetivos.

A última pergunta: o que você vai perder ou abandonar quando passar a crer na sua capacidade, parar de procrastinar e ter equilíbrio emocional? Você pode pensar que não perde nada, mas te convido a um mergulho profundo para descobrir os seus sabotadores de prazer, que te tiram de seu objetivo, mas geram benefícios positivos tão bons que te fazem permanecer com os comportamentos que não te levam para seu propósito.

Permita-se com amorosidade trazer a consciência cada sabotador. Reflita nas possíveis crenças que foram criadas ao longo de sua história, mas liberte-se de culpas, críticas internas e julgamentos; afinal, se você está trazendo a consciência agora estes pontos é porque está pronto para transformar a sua carreira.

Se pergunte: como posso obter os mesmos ganhos utilizando meus pontos fortes ao invés dos a melhorar? Para novos comportamentos, precisamos criar novas crenças, novas verdades. Para tal, te convido a ficar alerta às suas frases e pensamentos que são poderosos. Quer um exercício simples? Toda vez que passar em frente de algo que reflita sua imagem como um espelho, por exemplo, diga uma frase positiva e empoderadora para você. Será uma rica experiência.

Parar de se sabotar é se perdoar e se sentir livre para enxergar os lindos dons que possui. É se permitir a ter sucesso, ser merecedor e estar aberto a receber todas as coisas que tanto sonha. É se sentir à vontade com sua própria pele, com sua melhor versão para exercer de forma plena sua missão. Para começar? Comece dizendo de forma honesta e com todo coração: eu me permito a partir de agora parar de me sabotar, me abrir para as infinitas possibilidades de utilizar meus dons para aprender, ensinar e ter sucesso.

Artigo publicado na coluna Carreira com Propósito de Aline Gomes para a Cloud Coaching:

http://www.cloudcoaching.com.br/pare-de-sabotar-a-sua-carreira/post#.V3kYw7grLIU

Quer parar de sabotar a sua carreira? Assine a newsletter e receba em seu e-mail o e-book “Pare de Sabotar a Sua Carreira!”.