A Síndrome do Sabe Tudo: Atenção, você faz sem perceber!

Não importa a sua geração, cargo ou propósito, você absorve informações e gera aprendizados com suas experiências pessoais e profissionais. Porém, a sua atitude frente ao seu momento atual com sua base ou melhor, caixa de ferramentas, pode fazer com que queira ter um olhar mais crítico sobre as coisas, querer compartilhar o que conhece; mas pode fazê-lo de uma forma totalmente errônea.

A sua atitude pode torná-lo intolerante, excessivamente crítico a ponto de prejudicar sua conexão com as pessoas e o pior cenário: perder sua essência e autenticidade.

Talvez você não se dê conta, mas tem a síndrome do sabe tudo.

Você acha que as pessoas não fazem diferente porque não querem, sem compreender a fundo o que se passa, julga de forma irônica e agressiva ou sai querendo resolver dando caminhos, se esquecendo que do outro lado há uma pessoa com livre arbítrio, vontades e emoções.

Ao invés de se conectar com o outro, fere pontos essenciais da empatia: compete com o outro, não aprende com ele, se coloca num patamar superior, julga usando rótulos sem notar os conflitos que surgem; resultando em discussões ou afastando as pessoas.

A síndrome do sabe tudo tem como pilar as suas crenças e julgamentos, pois com sua verdade formada internamente, coloca uns óculos para enxergar a sua realidade, mas não percebe que os outros também possuem suas realidades. Acaba através do juízo de valor e não real, não se conectando e utilizando o que pode agregar com seus conhecimentos para as pessoas.

Se esquece do principal: será que de fato pratica a fundo o que julga e fala que faz ou se sabota com a camada protetora não olhando para a real verdade por trás da casca de sabe tudo?

Não mostrar sua vulnerabilidade, não querer perder a razão, controle, espaço e afeto são alguns dos fatores que sabotam o sabe tudo, entre outros.

A mudança pode ocorrer a qualquer momento, quando você se coloca como um aprendiz, mesmo diante de assuntos que já conhece. Até porque pode gerar novos insights e reflexões.

Tem uma frase de Klauss Vianna, coreógrafo e bailarino que dizia aos seus alunos: Façam a aula que já conhecem de outro lugar da sala, desta forma, pode ter uma nova visão do espaço e melhorar ainda mais sua performance.

Deixo aqui esta reflexão para que utilize seus talentos para crescer, inspirar e transformar. Conexões profundas e mais autênticas seguem caminhos da troca e da simplicidade.

Curtiu este post? Que tal mudar sua configuração mental? Leia agora!

Quer gerar mais protagonismo em ação? Faça Coaching!! Conheça a Make Different, empresa de soluções de desenvolvimento profissional de Aline Gomes. Clique Aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *